"SOU UM LABIRINTO EM BUSCA DE SAÍDA." (Vinícius de Moraes)







quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O MELHOR DO ABBA


O grupo ABBA foi formado em 1972, na Suécia, pelos músicos e compositores Biörn Ulvaeus e Benny Andersson, e as vocalistas Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lymgstad. Foi o grupo musical sueco de maior sucesso mundial, dominando as principais paradas ao redor do globo entre a segunda metade da década de 70 e o início da década de 80. O grupo ficou muito conhecido por seu visual moderno e divertido e por suas músicas que sempre se mantinham nas primeiras posições, tendo seus números nas paradas Top Ten superados apenas pelos Beatles, o que os tornou um campeoníssimo em vendagem de discos e participação em shows. O nome da banda é um acrónimo formado pelas primeiras letras do nome de cada um dos integrantes (apesar de ser também uma marca de arenque enlatado que existia na Suécia). De 1976 em diante, o primeiro B no logo da banda passou a ser escrito invertido em todos os materiais promocionais relacionados. Clique nos títulos das músicas e faça uma viagem no tempo, ao som do ABBA:

ATÉ QUANDO? (GABRIEL, O PENSADOR)

Abra o link abaixo e assista um vídeo da música "Até Quando?" composta por Gabriel, o Pensador, Itaal Shur e Tiago Mocotó, na interpretação de Gabriel, o Pensador:



ATÉ QUANDO?

Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer
Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

(Repete refrão)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

(Refrão x2)
A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

(Refrão x2)
A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você

Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado que eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

(Refrão x2)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

(Refrão)

A INIQUIDADE E AS ELEIÇÕES DE 2010 (PR. PASCHOAL PIRAGINE JR)

Abra o link abaixo e assista ao vídeo do pastor presidente da 1ª Igreja Batista de Curitiba, Pr. Paschoal Piragine Jr, fazendo uma análise do momento eleitoral vivido pelo Brasil, tendo como base de raciocínio o significado da palavra INIQUIDADE.
Independente de viés político, "coloração" ideológica e/ou postura religiosa, seria ótimo se cada cidadão brasileiro pudesse tomar conhecimento do que foi dito pelo pastos Piragine, e tivesse a capacidade de fazer uma análise crítica do conteúdo.
Infelizmente, como estamos em um país em que a grande maioria da população está situada nas categorias de analfabetos e analfabetos funcionais, o interesse pelo assunto ficará restrito a alguns poucos, basicamente aqueles "animais em extinção" que ainda prezam o conceito de "vergonha na cara", mantendo a integridade de sua postura ética e capacidade de indignação.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O MELHOR DE KLEITON & KLEDIR


Os irmãos Kleiton e Kledir nasceram em Pelotas-RS, e começaram a estudar música desde cedo. Na década de 70, junto com mais três amigos, formaram a banda "Almôndegas", que após grande aceitação em terras gaúchas, acabou vindo para o Rio de Janeiro, em busca do sucesso nacional. Algum tempo depois, com a dissolução da banda, os irmãos decidiram prosseguir a carreira em dupla, incentivados pela aceitação das suas composições, marcantemente gaúchas, tanto pela crítica quanto pelo público. Lançaram o primeiro disco da dupla em 1980, chegando ao sucesso de forma imediata e passando a levar multidões aos shows que faziam. Apesar êxito na carreira, em 1987 os irmãos se desentenderam e resolveram desfazer a dupla. Felizmente, depois de sete anos, finalmente "tomaram juízo" e reiniciaram a carreira, na tentativa de recuperar o tempo perdido. Clique nos títulos das músicas e aprecie algumas das marcantes interpretações de Kleiton & Kledir, merecidamente agraciados pelo governo gaúcho com o título de "Embaixadores Culturais do Rio Grande do Sul":

NOTURNO, DE CHOPIN (ARTHUR RUBINSTEIN)

Abra o link abaixo e assista um clipe da obra "Noturno" (em Mi bemol maior - Opus 9 - N2), uma eterna composição de Chopin*, na interpretação do pianista Arthur Rubinstein**, em gravação realizada no ano de 1965.



* Frédéric Chopin, também chamado Fryderyk Franciszek Chopin (Polonia, 02/03/1810 — França, 17/10/1849), tornou-se amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história. Colocando-se, graças a sua técnica refinada e sua elaboração harmônica, em condições de ser comparado a outros grandes da música universal, como Mozart e Beethoven.

** Arthur Rubinstein (Polônia, 28/01/1887 — Suíça, 20/12/1982) foi um pianista polonês naturalizado norte-americano, conhecido como um dos melhores pianistas virtuosos do século XX, aclamado internacionalmente por suas perfomances na execução de obras de Chopin e Brahms.

TURISMO VIRTUAL: COPACABANA PALACE (TOUR VIRTUAL, EM 3D)

Click no link abaixo e faça um tour, em 3D, pelo Copacabana Palace*, no Rio de Janeiro-RJ, seguramente o hotel mais famoso do Brasil.
O efeito 3D é simplesmente fantástico.
Espere a página carregar (loading) até 100%, não é preciso mexer no mouse para fazer o tour.


* Localizado na famosa Praia de Copacabana, o Copacabana Palace é reconhecidamente o mais renomado hotel do Brasil, hospedando ao longo de décadas, membros da realeza, estrelas de cinema, teatro e música, assim como políticos e grandes empresários.
Um símbolo de sofisticação e requinte, pertencente ao grupo Orient-Express, o Copacabana Palace oferece um serviço impecável, excelente gastronomia e luxuosas acomodações, confirmando a sua tradição de local ideal para se hospedar no Rio de janeiro.
Desde que Fred Astaire e Ginger Rogers dançaram juntos no filme Flying Down to Rio, com o Copacabana Palace como principal cenário, o hotel tornou-se internacionalmente conhecido.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

O MELHOR DE WILLIE NELSON


Willie Nelson nasceu em Abbot, Texas, EUA, no dia 30/04/1933. Nelson e sua irmã foram criados por seu avós, pois a mãe havia falecido, quando eles ainda eram crianças, ocasião em o pai já havia saído de casa. Por influência dos avós começou a tocar violão, enquanto sua irmã iniciou os estudos de piano. Escreveu sua primeira música quando tinha sete anos, e estava tocando em uma banda local em nove anos de idade. Em 1956, após tentar algumas profissões, sem sucesso, Nelson mudou-se para Vancouver, Washington, onde passou a ser locutor de rádios, enquanto fazia apresentações em clubes. Logo em seguida gravou seu primeiro single, que, apesar de haver vendido razoavelmente bem, não foi o suficiente para alavancar a carreira. Enfrentando dificuldades, Willie vendeu uma canção chamada "Family Bible" por US $ 50, a canção foi um hit de Claude Gray, dando-lhe a confiança necessária para continuar investindo no sonho. Em 1960, mudou-se para Nashville na ânsia de conseguir um contrato com uma gravadora. Apesar de frustrado em seus planos, Willie continuo insistindo com a música, e passou a integrar a banda "Ray Price e os Cowboys Cherokee", como baixista, ganhando a oportunidade de ter espaço para apresentar suas composições nas turnês do grupo. Aos poucos, muitas das suas músicas foram fazendo sucesso, passando a ser gravadas por alguns astros da música pop. A mais famosa das suas músicas, compostas nessa época, foi Crazy, que viria a ganhar o título de maior "hit jukebox" de todos os tempos, rendendo-lhe a devida fama, e fazendo com que passasse a ser devidamente aceito pelos críticos e reverenciado pelo público, tornando-o mundialmente conhecido como um dos ícones da música country norte-americana, além de propiciar a oportunidade para que desenvolvesse outras áreas, ao agregar em seu currículo as atividades de ator, escritor e ativista político, em favor da paz. Clique nos títulos das músicas e aprecie o talento de Willie Nelson:

ONTEM AO LUAR (MARISA MONTE)

Abra o link abaixo e assista um clipe mostrando imagens de antigas cidades mineiras, ao som da música "Ontem ao Luar", composta por Catulo da Paixão Cearense e Pedro de Alcântara, no ano de 1918, na voz de Marisa Monte.



ONTEM AO LUAR

Ontem ao luar
Nos dois em plena solidão
Tu me perguntaste
O que era dor de uma paixão
Nada respondi
Calmo assim fiquei
Mas fitando azul do azul do céu
A lua azul e te mostrei
Mostrando a ti dos olhos meus correr senti
Uma nívea lágrima e assim te respondi
Fiquei a sorrir por ter o prazer de ver a lágrima nos olhos a sofrer
A dor da paixão não tem explicação
Como definir o que só sei sentir
É mistér sofrer para se saber
O que no peito o coração não quer dizer
Pergunto ao luar travesso e tão taful
De noite a chorar na onda toda azul
pergunto ao luar do mar a canção
Qual o mistério que há na dor de uma paixão
Se tu desejas saber o que é o amor
Sentir o seu calor
O amaríssimo travor do seu dulçor
Sobe o monte a beira mar ao luar
Ouve a onda sobre a areia lacrimar
Ouve o silêncio a falar da solidão
De um calado coração
A penar a derramar os prantos seus
Ouve o choro perenal a dor silente universal
E a dor maior que a dor de Deus
Se tu queres mais
Saber a fonte dos meus ais
Põe o ouvido na rósea flor do coração
Ouve a inquietação da melancória pulsação
Busca saber qual a razão
Porque ele vive assim tão triste a supirar
A palpitar em desesperação
Na queima de amar de um insensível coração
Que a ninguém dirá no peito ingrato em que ele está
Mas que ao sepulcro fatalmente o levará.

SINTO VERGONHA DE MIM (ROLANDO BOLDRIN)

Abra o link abaixo e assista um vídeo gravado no programa "Sr. Brasil", levado ao ar semanalmente pela TV Cultura, mostrando o apresentador Rolando Boldrin declamando o poema "Sinto Vergonha de Mim", de autoria de Cleide Canton, encerrado com uma citação de Rui Barbosa:



SINTO VERGONHA DE MIM

Sinto vergonha de mim…
por ter sido educador de parte desse povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o “eu” feliz a qualquer custo,
buscando a tal “felicidade”
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos “floreios” para justificar
atos criminosos,
a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre “contestar”,
voltar atrás
e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer…

Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.
Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir meu Hino
e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar meu corpo
na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti,
povo brasileiro!

(Cleide Canton)

***
"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto".

(Rui Barbosa)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O MELHOR DE CARLOS GOMES


Carlos Gomes nasceu em Campinas-SP, no dia 11/07/1836. Aos quinze anos de idade, compõe valsas, quadrilhas e polcas. Aos dezoito anos, compõe a primeira Missa, “Missa de São Sebastião”, dedicada ao pai e repleta de misticismo. Em 1857, compõe a modinha “Suspiro d'Alma”, com versos do poeta romântico português Almeida Castro. Ao completar 23 anos, já apresentara vários concertos. Moço ainda, lecionava piano e canto, dedicando-se, sempre, com afinco, ao estudo das óperas, demonstrando preferência por Giuseppe Verdi. Tornou-se conhecido também em São Paulo, onde frequentemente realizava concertos, e onde compôs o Hino Acadêmico, que ainda hoje é cantado pelos alunos da Faculdade de Direito. Carlos Gomes foi o mais importante compositor de ópera do Brasil. Destacou-se pelo estilo romântico, com o qual obteve uma carreira de destaque na Europa, tendo sido o primeiro compositor brasileiro a ter suas obras apresentadas no Teatro Scalla, em Milão, na Itália. Clique nos títulos das músicas e delicie-se com as mais importantes obras de Carlos Gomes:

STRANGER IN PARADISE (THE FOUR ACES)

Abra o link abaixo e assista um vídeo da melodia "Stranger in Paradise", composta pelo russo Aleksandr Borodin, na interpretação do grupo vocal "Four Aces". Trata-se de um raro documento, gravado nos anos 50, ao vivo, durante uma apresentação na TV norte-americana.



STRANGER IN PARADISE

Take my hand
I'm a stranger in paradise
All lost in a wonderland
A stranger in paradise
If I stand starry-eyed
That's a danger in paradise
For mortals who stand beside an angel like you
I saw your face and I ascended
Out of the commonplace into the rare somewhere
In space I hang suspended
Until I know there's a chance that you care
Won't you answer this fervent prayer
Of a stranger in paradise
Don't send me in dark despair
From all that I hunger for
But open your angel's arms
To this stranger in paradise
And tell him that he need be
A stranger no more.

ESTRANHO NO PARAÍSO (TRADUÇÃO LIVRE)

Dê-me a mão,
Sou um estranho no paraíso
Perdido na terra da fantasia,
Estranho no paraíso
Se eu permanecer sonhador
Esse é o perigo do paraíso
Pois são os mortais que ficam perto de um anjo como você
Eu vi seu rosto ascendendo
Para fora do lugar-comum e indo ao raro
Agora em algum lugar no espaço eu fico suspenso
Até que eu tenha certeza que há uma chance de que você se importe
Você não irá responder essa oração fervorosa?
De uma estranho no paraíso
Não me mande para o desespero sombrio
Pois tudo que eu anseio
É apenas que você abra esses braços angelicais
Para este estranho no paraíso
E diga a ele que não será
Mais um estranho.

domingo, 26 de setembro de 2010

O MELHOR DE GLEEN MILLER


Glenn Miller nasceu em Clarinda, Iowa, EUA, no dia 01/03/1904. Após ter estudado na Universidade de Colorado, em 1926 Miller transformara-se num trombonista profissional na banda de Ben Pollack. Por volta de 1930, já era um reconhecido músico independente de New York. Mais tarde transformou-se num organizador de orquestras ligeira masculinas, a exemplo da dos irmãos Dorsey, iniciada em 1934, e de Ray Noble, organizada em 1935. Depois de ter tentado infrutiferamente formar a sua própria orquestra em 1937, acabou por o conseguir no ano seguinte e em finais de 1939 já era um famoso "bandleader". Ingressou no exército americano durante a 2.ª Guerra Mundial, tendo-lhe sido dado o posto de capitão, Posteriormente foi promovido ao posto de major e passou a dirigir s banda da força aérea do Exército dos Estados Unidos, na Europa, apresentando-se para as tropas que combatiam no velho continente. Os trunfos de Miller nos salões de dança basearam-se em orquestrações doces executados meticulosamente. O som do trombone de Miller, imediatamente reconhecível e muito copiado, baseava-se em princípios musicais muito simples, como foram todos os seus grandes sucessos, incluindo a sua própria composição, "Moonlight Serenade" que nasceu de um exercício que tinha escrito para Joseph Schillinger. No dia 15/12/1944, no auge do sucesso, Glenn Miller desapareceu misteriosamente durante um vôo sobre o Canal da Mancha, quando fazia o percurso da Inglaterra para Paris. Nem mesmo destroços do avião em que viajava foram jamais sido avistados ou recuperados. Clique nos títulos das músicas e aprecie o delicioso e imortal som produzido por Glenn Miller e sua orquestra:
A String Of Pearls / A string of pearls / A Tisket a Tasket / Adios / Amapola / American Patrol / April In Paris / At Last / Beguin The Beguine / Blueberry Hill / Blue Moon / Boogie Woogie / Bugle Call Rag / Chattanooga Choo Choo / Cheek To Cheek / Dream a little dream of me / Foxtrot / Georgia no My Mind / Give Me Five Minutes More / Green Eyes / Habanera / Harlem Nocturne / Hoocked On Swing / I'M Getting Sentimental Over You / In the mood / I'Ve Got A Gal In Kalamazzo / Litlte Brown Jug / Moonlight serenade / Night and Day / On What a Beautiful Morning / Over the rainbow / Pennsylvania / Perfidia /Rhapsody In Blue / Sentimental Journey / Serenade in Blue / Sing Sing Sing / Smoke Gets in Your Eyes / Song of India / Stardust / St Louis Blues / Stormy Weather / Stormy Weather 2 / String Of Pearls / Summertime / Sunrise serenade / Swing / Swinging At The Ritz / The Charleston / The Sound of Silence / This Love Mine / Tuxedo Junction / When I fall in Love / Yes my Darling Daughter


BOA NOITE AMOR (FRANCISCO ALVES)*

Abra o link abaixo e assista um clipe da valsa "Boa Noite Amor", composta por José Maria Abreu e Francisco Matoso, na interpretação de Francisco Alves, o Rei da Voz:



BOA NOITE AMOR

Quando a noite descer
Insinuando um triste adeus
Olhando nos olhos teus
Hei de beijando teus dedos dizer

Boa noite amor
Meu grande amor
Contigo eu sonharei
E a minha dor esquecerei
Se eu souber que o sonho teu
Foi o mesmo sonho meu

Boa noite amor
E sonha enfim
Pensando sempre em mim
Na caricia de um beijo
Que ficou no desejo
Boa noite meu grande amor.
(bis)


* Quando nasci, em 26/09/1950, minha mãe trabalhava na Rádio Nacional do Rio de Janeiro, então o principal veículo de comunicação do Brasil, onde era uma das encarregadas pela administração da discoteca da emissora. Vivendo em um lar em que a música sempre ocupou papel de destaque, essa melodia que tanto sucesso fez na inconfundível voz de Francisco Alves, tem um papel absolutamente especial, pois faz parte das mais remotas e expressivas lembranças da infância, pois era rotineiramente cantarolada por minha mãe, dona Juracy, sempre que me colocava na cama. Para aquela criança sonolenta, essa era a música dos Deuses, cantada pela voz de um anjo...

CISNE BRANCO (DALVA DE OLIVEIRA)*

Abra o link abaixo e acesse um clipe da música "Cisne Branco", também conhecida como“Canção do Marinheiro”, marcha composta por Antônio Manoel do Espírito Santo e Francisco Dias Ribeiro, escolhida para ser o "Hino da Marinha do Brasil", na inesquecível interpretação de Dalva de Oliveira:



CANÇÃO DO MARINHEIRO (CISNE BRANCO)

Qual cisne branco que, em noite de lua,
Vai deslizando num lago azul,
O meu navio também flutua
Nos verdes mares, de norte a sul.

Linda galera que, em noite apagada,
Vai navegando num mar imenso,
Nos traz saudades da terra amada
Da Pátria minha em que tanto penso.

Qual linda garça
Que aí vai cortando os ares,
Vai navegando
Sob um belo céu de anil,
Minha galera
Vai cortando os bravos mares;
Os verdes mares,
Os mares verdes do Brasil!

Quanta alegria nos traz a volta
À nossa Pátria do coração,
Em justo orgulho nossa ave volta,
Termos cumprido nossa missão.

Linda galera que, em noite apagada,
Vai navegando num mar imenso,
Nos traz saudades da terra amada
Da Pátria minha em que tanto penso.


* É com imensa alegria, emoção e orgulho que hoje, dia em que completo 60 anos de vida, tenho a oportunidade de homenagear meu pai, através da postagem dessa música, que além de fazer parte da minha vida, tem o dom de resgatar saudades que eu gosto de ter.
Tendo entrado para a Marinha do Brasil ainda muito jovem, como aprendiz marinheiro, "Seu Baptista" viajou pelo mundo e participou, durante a Segunda Guerra Mundial, de inúmeras missões de patrulhamento no litoral brasileiro.
Mesmo tendo dado baixa logo após a guerra, ao optar pela oportunidade de ingressar para o Serviço Público Federal, meu pai continuou mantendo estreito vínculo com Marinha, tanto pela utilização cotidiana de ensinamentos que aprendera durante seus muitos anos de caserna, como também pelo cultivo das amizades feitas no período em que esteve na "ativa", inclusive com muitos ex-colegas que continuaram engajados, seguindo a carreira militar.
Nascido em 1950, tive minha infância fortemente influenciada pela admiração que meu pai cultivava pela Marinha do Brasil, tanto que a música hoje postada (A canção do Marinheiro) faz parte da minha mais remota memória musical, não só por conta da frequência com ela era tocada em minha casa, como pelo fato de que meu pai, usando da paciência e da tranquilidade que marcavam a sua personalidade, tomou para si a tarefa de fazer com que eu, ainda muito menino, aprendesse a letra e, principalmente, entendesse o seu significado.

INFORMAÇÕES DE QUE PRECISAMOS (IBM)

Abra no link abaixo e assista um vídeo produzido pela IBM, intitulado "Informações de Que Precisamos".
Sugiro que seja visto com calma, pois trata de assuntos importantíssimos em relação ao cotidiano da "vida moderna", sobre os quais devemos refletir calmamente, sob pena de sermos surpreendidos, em pouquíssimo tempo, por um mundo para o qual não nos preparamos.

video

sábado, 25 de setembro de 2010

O MELHOR DE THE JET BLACK'S


O grupo paulistano The Jet Black's foi formado em 1961, com o nome The Vampires. O grupo foi um dos pioneiros do rock instrumental no Brasil, na linha dos ingleses Shadows (tirou seu nome de Jet black, sucesso desse grupo) e dos norte-americanos Ventures, embora também tivesse êxito com gravações vocais. Gravaram o primeiro disco em 1962, um 78 rpm com duas regravações dos Shadows, Apache e KonTikí, que fizeram sucesso imediato. Participaram também, como acompanhamento instrumental, em diversas gravações de diversos cantores da época da Jovem Guarda, a exemplo Deny e Dino, Ronnie Cord e Roberto Carlos. Em 1965 fizeram suas primeiras gravações vocais, no LP The Jet Black's. Clique nos títulos das músicas e aprecie o som que embalava os inocentes "bailinhos" dos anos 60 e 70, com a inesquecível marca do The Jet Black's:

PIEL CANELA (EYDIE GORME & TRIO LOS PANCHOS)

Abra o link abaixo e assista um vídeo da música "Piel Canela", composição de Bobby Capó, na consagrada interpretação de Eydie Gorme, com acompanhamento do Trio Los Panchos:



PIEL CANELA

Que se quede el infinito sin estrellas,
O que pierda el ancho mar su inmensidad,
Pero el brillo de tus ojos que no muera,
Y el canela de tu piel se quede igual.

Si perdiera el arco iris su belleza,
Y las flores su perfume y su color,
No seria tan inmensa mi tristeza,
Como aquella de quedarme sin tu amor.

Me importas tu, y tu, y tu
Y solamente tu, y tu y tu
Me importas tu, y tu y tu
Y nadie mas que tu.

Ojos negros piel canela
Que me llegan a desesperar
Me importas tu, y tu y tu
Y nadie mas que tu.


PELE COR DE CANELA (tradução livre)

Que o infinito fique sem estrelas
Ou que o largo mar perca sua imensidade
Mas que o negro dos teus olhos não morra
E a cor de canela de tua pele fique igual


Ainda que o arco-íris perca sua beleza
E as flores percam seus perfumes e suas cores
Não seria tão imensa minha tristeza
Como aquela de ficar sem teu amor


O que me importa é você e você,
Somente você, você e você
O que me importa é você, você e você,
e nada mais que você

Olhos negros pele cor de canela
que chegam a me desesperar
O que me importa é você, você e você,
Somente você, você e você
O que me importa é você, você e você,
e nada mais que você.

TURISMO VIRTUAL


Clique no nome da cidade que deseja conhecer, e faça uma viagem virtual:

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O MELHOR DE BILLIE HOLIDAY


Billie Holiday nasceu no dia 01/04/1915, na Filadélfia, EUA. Menina americana negra e pobre, Billie passou por todos os sofrimentos possíveis. Aos dez anos foi violentada sexualmente por um vizinho, e internada numa casa de correção para meninas vítimas de abuso. Aos doze, trabalhava lavando o chão de prostíbulos. Aos quatorze anos, morando com sua mãe em Nova York, caiu na prostituição. Sua carreira como cantora começou em 1930, de forma absolutamente inesperada. Estando mãe e filha ameaçadas de despejo por falta de pagamento de sua moradia, Billie sai à rua em desespero, na busca de algum dinheiro. Entrando em um bar do Harlem, ofereceu-se como dançarina, mostrando-se um desastre. Penalizado, o pianista perguntou-lhe se sabia cantar. Billie cantou e saiu com um emprego fixo. Billie nunca teve educação formal de música e seu aprendizado se deu ouvindo Bessie Smith e Louis Armstrong. Após três anos cantando em diversas casas, atraiu a atenção do crítico John Hammond, através de quem ela gravou seu primeiro disco, com a big band de Benny Goodman. Era o real início de sua carreira. Começou a cantar em casas noturnas do Harlem (Nova York), onde adotou seu nome artístico. Cantou com as big bands de Artie Shaw, Dule Ellingtpn, Teddy Wilson, e Cout Basie, e foi uma das primeiras negras a cantar com uma banda de brancos, ainda nos anos 30, uma época de segregação racial nos Estados Unidos era uma triste realidade. Consagrou-se das mais comoventes cantoras de jazz de sua época, com interpretações magistrais, baseadas em sua voz etérea, flexível e levemente rouca, Sua dicção, seu fraseado, a sensualidade à flor da voz, expressando incrível profundidade de emoção. A partir de 1940, apesar do sucesso, Billie Holiday, sucumbiu ao álcool e às drogas, passando por momentos de depressão, vícios que não só se refletiam em sua voz, como acabaram causando sua morte, vítima de uma overdose de drogas, no dia 17/07/1959. Clique nos títulos das músicas e tenha uma mostra do insuperável talento de Billie Holiday:

SAMBA NO ARPÉGE (WALDIR CALMON E SEU CONJUNTO)

Abra o link abaixo e assista um vídeo gravado nos estúdios da antiga TV Tupi, nos anos 50, trazendo um apresentação do pianista Waldir Calmon e seu Conjunto, interpretando a música "Samba no Arpége", composta por Waldir Calmon e Luís Bandeira.


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O MELHOR DE ADILSON RAMOS


Adilson Ramos nasceu no Rio de Janeiro-RJ, no dia 07/04/1945. Iniciando sua carreira de cantor e compositor antes da Jovem Guarda, como integrante do grupo Os Cometas, até que resoveu seguir carreira solo, inspirando-se em Paul Anka e Neil Sedaka, e nos brasileiros Cauby Peixoto e Orlando Dias. Após fazer os primeiros sucessos na MPB, afastou-se em 1967, retornando em 1972 para, em 1977 gravar o disco que até hoje está no catálogo, com vários sucessos: Sonhar contigo, Sonhei com você, Duas flores, O relógio (versão de Nely B. Pinto da composição El reloj, de Roberto Cantoral), Tão somente uma vez (outra versão, de Solamente una vez), etc. Em 1982, mudou-se para o Recife-PE, onde reside até hoje, alternando sua atividade de cantor com a de industrial e comerciante. Clique nos títulos das músicas e aprecia alguns dos grandes sucessos criados por Adilson Ramos:

I CAN'T STOP LOVING YOU (RAY CHARLES)

Abra o link abaixo e assista um clipe da música "I Can't Stop Loving You", composta por Dor Gibson, com memorável interpretação de Ray Charles, gravada aos vivo, durante um show realizado no Japão, em 1982:



I CAN'T STOP LOVING YOU

(I can't stop loving you)
I've made up my mind
To live in memory of the lonesome times
(I can't stop wanting you)

It's useless to say
So I'll just live my life in dreams of yesterday
(Dreams of yesterday)
Those happy hours that we once knew

Tho' long ago, they still make me blue
They say that time heals a broken heart
But time has stood still since we've been apart

(I can't stop loving you)
I've made up my mind
To live in memory of the lonesome times
(I can't stop wanting you)

It's useless to say
So I'll just live my life in dreams of yesterday
(Those happy hours)
Those happy hours
(That we once knew)
That we once knew

(Tho' long ago)
Tho' long ago
(Still make me blue)
Still ma-a-a-ake me blue

(They say that time)
They say that time
(Heals a broken heart)
Heals a broken heart
(But time has stood still)
Time has stood still
(Since we've been apart)
Since we've been apart

(I can't stop loving you)
I said I made up my mind
To live in memory of the lonesome times
(I can't stop wanting you)
It's useless to say
So I'll just live my life of dreams of yesterday
(Of yesterday).

EU NÃO CONSIGO PARAR DE AMAR VOCÊ (tradução livre)

Eu Não Consigo Parar de Amar Você
(Não posso parar de amar você)
Já fiz minha cabeça
Pra viver com a memória de tempos solitários
(Não posso parar de amar você)

É inútil dizer
Então só vou viver minha vida dos sonhos de ontem
(Sonhos de ontem)
Aquelas horas felizes que tivemos

Aqueles tempos atrás, ainda me deixam tristes
Dizem que o tempo cura um coração machucado
Mas o tempo não passou desde que nos separamos

(Não posso parar de amar você)
Já fiz minha cabeça
Pra viver com a memória de tempos solitários
(Não posso deixar de querer você)

É inútil dizer
Então só vou viver minha vida dos sonhos de ontem
(Aquelas horas felizes)
Aquelas horas felizes
(Que tivemos)
Que tivemos

(Aqueles tempos atrás)
Aqueles tempos atrás
(Ainda me deixam triste)
Ainda me deixam triste

Dizem que o tempo)
Dizem que o tempo
(Cura um coração partido)
Cura um coração partido
(Mas o tempo não passou)
Mas o tempo não passou
(Desde que nos separamos)
Desde que nos separamos

(Não posso parar de amar você)
Eu disse, já fiz minha cabeça
Pra viver com a memória de tempos solitários
(Não posso deixar de querer você)
É inútil dizer
Então só vou viver minha vida dos sonhos de ontem
(De ontem).

OS IPÊS-AMARELOS (RUBEM ALVES*)


Uma professora me contou esta coisa deliciosa.
Um inspetor visitava uma escola. Numa sala ele viu, colados nas paredes, trabalhos dos alunos acerca de alguns dos meus livros infantis. Como que num desafio, ele perguntou à criançada: "E quem é Rubem Alves?". Um menininho respondeu: "O Rubem Alves é um homem que gosta de ipês-amarelos...". A resposta do menininho me deu grande felicidade. Ele sabia das coisas. As pessoas são aquilo que elas amam.

Mas o menininho não sabia que sou um homem de muitos amores... Amo os ipês, mas amo também caminhar sozinho. Muitas pessoas levam seus cães a passear. Eu levo meus olhos a passear. E como eles gostam! Encantam-se com tudo. Para eles o mundo é assombroso. Gosto também de banho de cachoeira (no verão...), da sensação do vento na cara, do barulho das folhas dos eucaliptos, do cheiro das magnólias, de música clássica, de canto gregoriano, do som metálico da viola, de poesia, de olhar as estrelas, de cachorro, das pinturas de Vermeer (o pintor do filme "Moça com Brinco de Pérola"), de Monet, de Dali, de Carl Larsson, do repicar de sinos, das catedrais góticas, de jardins, da comida mineira, de conversar à volta da lareira.

Diz Alberto Caeiro que o mundo é para ser visto, e não para pensarmos nele. Nos poemas bíblicos da criação está relatado que Deus, ao fim de cada dia de trabalho, sorria ao contemplar o mundo que estava criando: tudo era muito bonito. Os olhos são a porta pela qual a beleza entra na alma. Meus olhos se espantam com tudo que veem.

Sou místico. Ao contrário dos místicos religiosos que fecham os olhos para verem Deus, a Virgem e os anjos, eu abro bem os meus olhos para ver as frutas e legumes nas bancas das feiras. Cada fruta é um assombro, um milagre. Uma cebola é um milagre. Tanto assim que Neruda escreveu uma ode em seu louvor: "Rosa de água com escamas de cristal...".

Vejo e quero que os outros vejam comigo. Por isso escrevo. Faço fotografias com palavras. Diferentes dos filmes, que exigem tempo para serem vistos, as fotografias são instantâneas. Minhas crônicas são fotografias. Escrevo para fazer ver.

Uma das minhas alegrias são os e-mails que recebo de pessoas que me confessam haver aprendido o gozo da leitura lendo os textos que escrevo. Os adolescentes que parariam desanimados diante de um livro de 200 páginas sentem-se atraídos por um texto pequeno de apenas três páginas. O que escrevo são como aperitivos. Na literatura, frequentemente, o curto é muito maior que o comprido. Há poemas que contêm todo um universo.

Mas escrevo também com uma intenção gastronômica. Quero que meus textos sejam comidos pelos leitores. Mais do que isso: quero que eles sejam comidos de forma prazerosa. Um texto que dá prazer é degustado vagarosamente. São esses os textos que se transformam em carne e sangue, como acontece na eucaristia.

Sei que não me resta muito tempo. Já é crepúsculo. Não tenho medo da morte. O que sinto, na verdade, é tristeza. O mundo é muito bonito! Gostaria de ficar por aqui... Escrever é o meu jeito de ficar por aqui. Cada texto é uma semente. Depois que eu for, elas ficarão. Quem sabe se transformarão em árvores! Torço para que sejam ipês-amarelos...

* O psicanalista, educador, teólogo, poeta e escritor Rubem Alves nasceu no dia 15/09/1933, em Boa Esperança-MG, município onde está localizada a Serra da Boa Esperança, celebrizada pela música que leva seu nome, composta por Lamartine Babo. Bacharel e Mestre em Teologia, Doutor em Filosofia (Ph.D.) pelo Seminário Teológico de Princeton (EUA), é um consagrado autor de livros e artigos abordando temas religiosos, educacionais e existenciais, além de uma série de livros infantis.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O MELHOR DE ERNESTO LECUONA


Ernesto Lecuona nasceu em Havana, Cuba, no dia 06/08/1895. Começou a estudar piano com sua irmã, Ernestina. Foi uma criança prodígio. Realizou seu primeiro recital aos cinco anos de idade, e aos treze, compôs sua primeira marcha, intitulada Cuba y América. Graduou-se no Conservatorio Nacional de la Habana, e aos dezesseis anos, conquistou uma medalha de ouro por sua interpretação. Fora de Cuba, começou sua carreira em Nova York e continou seus estudos na França, com Maurice Ravel. Lecuona foi o introdutor a orquestra latina nos Estados Unidos, ao formar, com Gonzalo Roing e Rodrigo Prats, um dos mais importantes trios de orquestra, especialmente da zarzuela, o estilo mais significativo da sua carreira. Clique nos títulos das músicas e desfrute do taleto musical de Esnesto Lecuona:
Adios a Cuba / Adios mi Amor / A La Antigua / Amapola / Andalucía / Ante el Escorial / Aquela Tarde / Damisela Encantadora / Danza Negra / Granada / La Brisa y Yo / La Conga / La Habanera / La Paloma / Malagueña / Maria Lá Ô / Mulata / Muñeca de Cristal / Noche Azul / Paso Doble de Los Mantones / Rapsódia Negra / San Francisco / Siboney / Siempre en mi Corazon

BRASILEIRINHO (YO-YO MA)

Abra o link abaixo e assista um vídeo da música "Brasileirinho", composta por Waldir Azevedo, em 1947, gravado ao vivo durante uma apresentação de Yo-Yo Ma, um violoncelista norte-americano nascido na França, de origem chinesa, considerado um dos melhores do mundo, contando com o brilhante acompanhamento de um grupo musical formado pelo clarinetista Paquito D'Rivera, os guitarristas Sergio e Odair Assad, o baixista Nilson Matta, o pianista Kathryn Stott, e o percursionista Dosa Passos. Imperdível!:

22 DE SETEMBRO: DIA MUNDIAL SEM CARRO


Especialistas mostram por que vale a pena calçar o tênis e praticar a caminhada

É bom andar a pé, como diz a música de Wilson Simoninha. E, no dia 22 de setembro, você tem um motivo a mais para isso: aderir às ações do Dia Mundial sem Carro, criado em 1996 pelos franceses em protesto à poluição ambiental. De lá para cá, cidades do mundo engajaram-se no movimento.

A caminhada é uma atividade fácil de ser realizada, que tonifica o corpo e queima muitas calorias , afirma a personal trainer do MinhaVida, Valéria Alvim. E, se você ainda está em dúvida quanto a deixar o carro na garagem, acompanhe as dicas abaixo.
.
Os consultores da MPR e autores do Guia de Corrida, Fábio Rosa e Emerson Gomes, listam a seguir cem motivos capazes de convencer qualquer pessoa a abrir mão do volante, e não só uma vez por ano. Mas sempre que possível. Acompanhe:

1- Aumenta a liberação de endorfinas, ajudando no combate do stress, ansiedade e depressão;

2- Tonifica a musculatura das pernas, coxas e glúteos;

3- Possui um gasto médio de 200-300 kcal/hora;

4- Na subida o gasto calórico pode aumentar para até 450kcal/hora;

5- Melhora a circulação sanguínea;

6- Auxilia na prevenção de varizes;

7- Auxilia no controle da pressão arterial;

8- Auxilia no controle do colesterol, aumentando o HDL(bom colesterol) e diminuindo o LDL (mau colesterol);

9- Aumenta a massa muscular;

10- Melhora a atividade do sistema imunológico;

11- Ajuda a prevenir a osteoporose, através da compressão imposta aos ossos pelo impacto da caminhada;

12- Aumenta o metabolismo de repouso, aumentando assim o gasto calórico diário;

13- Aumenta a capacidade dos pulmões absorverem o oxigênio;

14- Auxilia no combate a diversos tipos de câncer;

15- Alivia os sintomas da TPM;

16- A caminhada durante a gestação pode facilitar o parto, por manter a musculatura firme;

17- Acelera a recuperação pós-parto;

18- Acelera a recuperação de cirurgias;

19- Aumenta a força dos membros inferiores;

20- Melhora flexibilidade;

21- Acelera a atividade do sistema nervoso, auxiliando na condução de impulsos;

22- Auxilia no controle postural, pois exige sustentação do tronco;

23- Diminui riscos de derrame cerebral;

24- Auxilia no controle e prevenção da diabetes;

25- Ajuda a prevenir a obesidade;

26- Auxilia no combate ao tabagismo;

27- Melhora a auto estima;

28- Combate a insônia;

29- Praticamente sem contra indicações;

30- Você fica mais disciplinado, pois caminhando para o trabalho, há horário a cumprir e com isso impõe um ritmo a seu organismo;

31- Tem baixo custo. Basta apenas um calçado confortável com amortecedor;

32- Aumenta o contato com o meio ambiente, ficando livre do ar condicionado do carro e do escritório;

33- Auxilia na absorção de vitamina D, se realizada durante o dia devido à irradiação solar;

34- Sem pegar o carro, você colabora com o trânsito;

35- Colabora com o controle da emissão de gases que provocam o aquecimento global;

36- Você fica livre dos congestionamentos e do stress que os engarrafamentos provocam aos motoristas;

37- Deixando o carro na garagem, você gasta menos dinheiro com combustível;

38- Você economiza com o altíssimo valor cobrado pelos estacionamentos;

39- Pode fazer suas comprar durante a caminhada de ida e volta ao trabalho, evitando a perda de tempo em se deslocar somente para isso;

40- Caminhar nas ruas permite observar melhor a arquitetura dos prédios e descobrir lugares nunca antes observados;

41- Caminhar nos parques permite observar a natureza;

42- Aumenta a percepção de umidade e temperatura;

43- Caminhar em contato com a natureza pode reduzir ainda mais a ansiedade, pois a cor verde traz tranqüilidade;

44- Podemos observar as nuvens no céu, o que dificilmente pode ser feito dentro de um carro;

45- Podemos ver o nascer do sol enquanto caminha em direção ao trabalho;

46- Podemos desenvolver a audição prestando atenção nos sons dos carros que se aproximam;

47- Em um parque, podemos ouvir o cantar dos pássaros;

48- Podemos ver o pôr do sol enquanto voltamos do trabalho;

49- Enquanto caminhamos, podemos conversar com os amigos;

50- Caminhando diariamente, você fica em forma e pode até economizar com a academia;

51- Você ganha uma maior resistência aeróbica;

52- Auxilia na tonificação da musculatura dos membros inferiores;

53- Aumenta o seu gasto calórico;

54- Fortalece os tendões 55- O impacto da caminhada rápida ajuda na calcificação dos ossos, retardando ou evitando a osteoporose, problema que afeta principalmente mulheres;

56- Ajuda a controlar a ansiedade;

57- Combate a depressão;

58- Controla a pressão arterial;

59- Contribui para a diminuição dos valores da freqüência cardíaca de repouso (basal);

60- Estimula a socialização;

61- Trabalha o equilíbrio do corpo;

62- Fortalece as articulações;

63- Reduz risco de arteriosclerose;

64- Reduz o risco de AVC (acidente vascular cerebral);

65- Reduz risco de infarto do miocárdio;

66- Auxilia no controle do colesterol;

67- Auxilia no controle do diabetes;

68- Aumenta a eficiência do sistema imunológico;

69- Age no controle do estresse;

70- Reduz o risco de câncer no cólon;

71- Auxilia na prevenção do reumatismo;

72- Ajuda na melhora da disposição para o dia-a-dia;

73- Combate sentimentos de inadequação;

74- Melhora a auto-estima;

75- Ajuda no controle da obesidade;

76- Diminui o risco de lesão devido ao baixo impacto (comprando à corrida);

77- Auxilia no ganho da massa óssea;

78- Diminui o risco de varizes;

79- Diminui o risco de lombalgia;

80- Contribui para o aumento da flexibilidade;

81- Aumenta a resistência anaeróbica;

82- Ajuda a corrigir vícios posturais;

83- Melhora a estabilidade articula;

84- Contribui para a melhora de problemas de circulação;

85- Considerada a prática mais segura de exercícios aeróbicos do ponto de vista ortopédico e cardiovascular;

86- Ajuda a fortalecer braços e troncos (se houver boa utilização dos braços, no movimento da caminhada);

87- Ajuda na oxigenação cerebral, auxiliando na circulação do sangue pelo corpo;

88- Traz a sensação de bem-estar;

89- Auxilia no aumento da força;

90- Reduz o risco de câncer de mama;

91- Ajuda a combater a insônia/

92- Aumenta a produção endorfina;

93- Auxilia no combate à asma;

94- Auxilia no trabalho digestivo;

95- Melhora o metabolismo energético;

96- Combate os radicais livres;

97- Melhora a qualidade do sono;

98- Retarda o envelhecimento;

99- Contribui para a diminuição do risco do diabetes tipo 2;

100- Diminui os triglicérides.

QUEM É SEU AMANTE? (JORGE BUCAY*)


Muitas pessoas têm um amante e outras gostariam de ter um.

Há também as que não têm, e as que tinham e perderam.

Geralmente, são essas últimas que veem ao meu consultório, para me contarem que estão tristes. Ou que apresentam sintomas típicos de insônia, apatia, pessimismo, crises de choro, dores etc.

Elas me contam que suas vidas transcorrem de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar seu tempo livre.

Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente perdendo a esperança.

Antes de me contarem tudo isto, elas já haviam visitado outros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "depressão", além da inevitável receita do anti-depressivo do momento.

Assim, após escutá-las atentamente, eu lhes digo que não precisam de nenhum anti-depressivo; digo-lhes que precisam de um AMANTE!!!

É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem meu conselho.

Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa dessas?!”

Há também as que, chocadas e escandalizadas, se despedem e não voltam nunca mais.

Para aquelas, porém, que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico o seguinte: "AMANTE" é aquilo que nos "apaixona", é o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono, é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir.

O nosso "AMANTE" é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.

Às vezes encontramos o nosso "AMANTE" em nosso parceiro, outras, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis.

Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente. Na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto...

Enfim, é "alguém" ou "algo" que nos faz "namorar a vida" e nos afasta do triste destino de "ir levando"...

E o que é "ir levando"?

“Ir levando” é ter medo de viver.

É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o Sol ou com a chuva.

“Ir levando” é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão, de que talvez possamos realizar algo amanhã.

Por favor, não se contente com "ir levando".

Procure um amante, seja também um amante e um protagonista DA SUA VIDA!

Acredite: O trágico não é morrer, afinal a morte tem boa memória, e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver...

Por isso, e sem mais delongas, procure um amante...

A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental: "PARA ESTAR SATISFEITO, ATIVO E SENTIR-SE JOVEM E FELIZ, É PRECISO NAMORAR A VIDA".

* O psicoterapeuta, gestalt, psicodramatista e escritor Jorge Bucay nasceu em Buenos Aires, Argentina, no ano de 1949. Em 1973, graduou-se como um doutor da Universidade de Buenos Aires, e especializado em doenças mentais no Hospital Pirovano Buenos Aires e na clínica Santa Monica. Atualmente, ele define seu trabalho como ajudante profissional. Além da inúmeras conferências que ministra, o tempo de Jorge Bucay e direcionado à sua produção literária, que ele considera ferramentas terapêuticas, e que já venderam mais de 2 milhões de cópias em todo o mundo, após serem traduzidos em mais de dezessete idiomas.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

O MELHOR DE FRANCISCO PETRÔNIO


Francisco Petrônio nasceu no Bexiga, reduto da colônia italiana em São Paulo-SP, no dia 08/11/1923. Cantava desde a infância, apresentando-se nas festas do bairro, porém começou a vida profissional como motorista de táxi. Como ser cantor era seu de infância, cantor era um sonho de criança que apenas em 1961 tornou-se realidade. Acostumado a cantar para os passageiros, durante as corridas, quis o destino que em uma ocasião embarcasse no seu táxi o cantor Nerino Silva, que ficou impressionado com a qualidade vocal de Petrônio, levando-o para fazer um teste na TV Tupi, onde foi apresentado para Cassiano Gabus Mendes, que era o diretor artístico da emissora. Aprovado no teste, foi imediatamente contratado para atuar na Rádio e na TV Tupi. Em 1964 gravou a música "Baile da Saudade" que marcou sua carreira e bateu recordes de vendas. Na televisão, em 1966, criou o programa "Baile da Saudade", apresentado na TV Paulista - atual Rede Globo, aproveitando a boa receptividade da música que levava o mesmo nome. Posteriormente, passou por várias emissoras brasileiras, como TV Band, TV Gazeta, TV Cultura e TV Record, criando uma marca que o levou a ser conhecido como o "Rei do Baile da Saudade", passando a realizar shows e bailes por todo o Brasil. Em 46 anos de carreira, gravou cerca de 750 músicas, em 55 discos e CDs. Clique nos títulos das músicas e aprecie algumas pérolas da MPB, gravadas por Francisco Petrônio:

OFFER (ALANIS MORISSETTE)

Abra o link abaixo e assista um clipe da música "Offer", composta e interpretada pela cantora canadense Alanis Morissette. Trata-se de mais um importante clamor contra as desigualdades do mundo que, tal como acontece com a maioria deles, não consegue obter a repercussão midiática que deveria:



OFFER

Who, who am I to be blue?
Looking my family and fortune
Looking my friends and my house

Who, who am I to feel dead?
And, who am I to feel spent?
Looking my health and my money

And where, where do I go to feel good?
Why do I still look outside meWhen clearly
I've seen it won't work?

Is it my calling to keep on when I'm unable?
Is it my job to be selfless extraordinaire?

And my generosity has me disabled by this
My sense of du - ty to off - er

And why, why do I feel so ungrateful?
Me who is far beyond survival
Me who's seen life as an oyster

Is it my calling to keep on when I'm unable?
Is it my job to be selfless extraordinaire?

And my generousity has me disabled by thisMy sense of du - ty to off - er

And how, how dare I rest on my laurels?
How dare I ignore an outstretched hand?
How dare I ignore a third world country?

Is it my calling to keep on when I'm unable?
Is it my job to be selfless extraordinaire?

And my generousity has me disabled by this
My sense of du - ty to off - er

Who, who am I to be blue?

OFERECER
(tradução livre)

Quem, quem sou eu para entristecer?
Diante de minha família e sorte
Diante de meus amigos e minha casa

Quem, quem sou eu para me sentir sem vida?
Quem sou eu para me sentir esgotada?
Diante de minha saúde e meu dinheiro

E onde, aonde eu vou para me sentir bem?
Por que eu ainda procuro externamente?
Quando está claro que isso não funcionará

É minha virtude continuar quando não sou capaz?
E é meu trabalho ser extraordinariamente preocupada com os outros?
Minha generosidade me desabilitou poresse meu senso de tarefa a oferecer

E por que, por que eu me sinto tão ingrata?
Eu que estou muito além de apenas sobreviver
Eu que vejo a vida como uma ostra

É minha virtude continuar quando não sou capaz?
E é meu trabalho ser extraordinariamente preocupada com os outros?
Minha generosidade me desabilitou poresse meu senso de tarefa a oferecer

E como, como ouso descansar em minha glória
Como ouso ignorar uma mão estendida?
Como ouso ignorar os países de terceiro mundo?

É minha virtude continuar quando não sou capaz?
E é meu trabalho ser extraordinariamente preocupada com os outros?
Minha generosidade me desabilitou poresse meu senso de tarefa a oferecer

Quem, quem sou eu para entristecer?